quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Devaneios de um coração atordoado

Sozinhos, sozinhos, sozinhos. Somos sós. 
Infelizmente, não à sós.
Desajeitados, desajustados, desequilibrados. Somos nós.
Infelizmente, nós não somos. Nem fomos.

Apressados, adiantados, aleijados. Somos pó.
Magoados, mastigados, marginalizados. Somos só.
Lamentados, choramingados, desacreditados. Temos fé.
Inapropriados, alucinados, deslocados. Damos ré.

Infelizmente, nunca estivemos de pé.