quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Auto

equilibre-se entre os carros e entre a rapidez dos dias
fique inerte à rispidez de todas essas frases frias
congele seu coração
perdoe o perdão
ame
mesmo quando não há mais
força

forca

não morra
a vida está aí
o sol está aí
as pessoas estão


não morra
mesmo que ela não esteja
aqui


ouça
o que sua mente
mente,
mas escute,
não invente
canalize essa
vertente
para algo,
no mínimo,
decente

não seja assim
tão
descrente

você está sujeita
ao erro
ao acerto
ao equívoco
você está sujeita
à ela, também

pare de ver
e enxergue
pare de achar
e enfrente
pare de tramitar
e aja

não há nada mais que mude
como a atitude

tire o peso dos ombros
saia do meio dos escombros

pega o teu amor
jogue-o contra a parede
e vê se entende
que amor
não morre

corra,
não morra

tu também é
amor